A diabetes e o coração

Caracterizada pela elevação dos níveis de açúcar no sangue, a diabetes é uma doença metabólica que pode provocar danos em vários órgãos, inclusive no coração. Nesta matéria você entenderá um pouco mais sobre o assunto.




Como se adquire diabetes?


A doença pode ser hereditária e vir junto com o nascimento, sendo considerada autoimune. Mas há também muitos casos de pessoas que a adquirem por maus hábitos, como alimentação desregrada e falta de atividade física.


A ingestão desenfreada de alimentos adocicados e de carboidratos interfere diretamente na aquisição do problema.


Existem quatro tipos de diabetes. A tipo 1, que é aquela que já nasce com o indivíduo. A tipo 2, que é a adquirida ao longo da vida. A diabetes gestacional, um tipo da doença que acomete apenas mulheres no período da gravidez. E a pré-diabetes, que é quando a taxa de açúcar no sangue está acima do normal, mas ainda não há um diagnóstico definitivo de diabetes.



Quais são os sintomas da diabetes?


Essa é uma doença que traz sintomas clássicos. Sede exagerada, aumento da sensação de fome, vontade frequente de urinar, boca seca, cansaço físico e alterações na visão são os mais comuns.


Em casos de diabetes tipo 1, normalmente diagnosticada na infância ou adolescência, a pessoa pode mostrar alterações no humor, coceiras e dificuldade de ganhar peso.



Como a diabetes afeta o coração?


De cada 10 pacientes diabéticos que falecem por complicações relacionadas à doença, 8 desenvolveram problemas cardiovasculares.


O processo acontece porque, com altos níveis de glicose no sangue, o colesterol fica mais agressivo, formando maior número de placas nas artérias coronárias. Sem contar que o índice elevado de glicose favorece a maior produção de coágulos que também podem obstruir as artérias. Quando uma artéria sofre uma obstrução, há falta de oxigênio no coração, fazendo com que o tecido sadio morra, sendo substituído por uma cicatriz. Dependendo do tamanho da área afetada, pode ser fatal ou deixar sequelas irreversíveis, como a insuficiência cardíaca


O paciente que tem diabetes pode diminuir o risco de infarto mudando seu estilo de vida. Basta aderir à alimentação saudável, atividade física, parar de fumar, fazer exames periódicos e usar medicações preventivas que devem ser prescritas por um médico.