A relação da hepatite com a saúde do coração

A saúde do fígado pode interferir no bem-estar do sistema cardiovascular. Entenda como e por que nesta matéria.




O fígado e a hepatite


A hepatite é uma terminologia genérica para definir inflamação no fígado. Isso pode acontecer por diversas razões: infecção viral, toxicidade alimentar, reação a medicamentos ou uso abusivo de álcool.


O fígado é um órgão vital e complexo, que se relaciona com diferentes outros sistemas do organismo humano, entre eles o cardiovascular. Vamos entender um pouco melhor sobre esse assunto.



O fígado e o coração


Ter um fígado saudável é essencial, inclusive para usar a medicação que controla outras doenças, como as do coração.


Vejamos o exemplo de uma pessoa que sofre de arritmia e toma remédios via oral. Para onde esse remédio vai, depois de passar pelo estômago? Sim, para o fígado, que precisa estar em bom estado para metabolizar a substância. Se houver uma hepatite, aquele medicamento pode não produzir o efeito desejado.


Reações parecidas podem acontecer com quem toma remédios controlados e ingere bebida alcoólica exageradamente e com certa frequência. O fígado pode ter uma inflamação e não absorver a medicação como necessário, comprometendo o tratamento e colocando o coração em risco (se a medicação for para fins cardíacos).


Mas a questão vai além da absorção de fármacos. Se o paciente tem uma doença que compromete o seu fígado, como hepatite, é natural pensar que o órgão deixará de produzir hormônios e proteínas que são necessários ao bom funcionamento de outros órgãos, inclusive o coração, que pode descompensar.


E um alerta para quem ingere anabolizantes e produtos veterinários em nome da beleza; ou que mistura álcool com outras substâncias como energético e drogas ilícitas: essas práticas podem comprometer as funções hepáticas ao ponto de levar à morte, pois o fígado comprometido também faz o sistema cardiovascular colapsar.