A vacinação contra covid em crianças e adolescentes

Assunto mais comentado em 2021, a vacinação contra covid vem acontecendo por prioridades e por idade, do mais velho para o mais novo. Com o avanço da mesma, fica a dúvida se crianças e adolescentes poderão se vacinar. Leia e entenda sobre o assunto.




Vacinação em menores


As fabricantes das vacinas AstraZeneca e Pfizer fizeram, no início do ano, testes em crianças a partir de 6 anos, para saber se os imunizantes são seguros em pessoas com pouca idade. Isso mostra, claramente, que há a intenção de haver vacinação nessa faixa etária.


É importante esclarecer que a incidência de casos graves de covid nesse grupo é bem mais rara. Porém, não há qualquer garantia 100% eficaz que pessoas mais novas não possam desenvolver a forma perigosa da doença e até falecer em decorrência dela. Por isso é necessário falar em vacinação nessas pessoas também.


Países como os Estados Unidos e Emirados Árabes já autorizaram a vacinação em maiores de 12 anos. Em alguns outros lugares, já acontece a fase final de testes para a imunização ocorrer em crianças de 5 a 11 anos. E há testes preliminares para imunizar bebês a partir de 6 meses.


Algumas indústrias farmacêuticas falam que será possível vacinar até recém-nascidos. Mas, para se chegar a esse nível, será necessária uma bateria de testes antes.


Na China, o país mais avançado em termos de imunização, crianças a partir de 3 anos já foram vacinadas. Inclusive, elas apresentaram uma resposta imunológica melhor que os adultos.



E no Brasil?


Por aqui, a vacinação em menores de idade ainda está caminhando. Atualmente, de forma geral, o assunto está sendo decidido pelos órgãos competentes do governo. Entretanto, alguns estados já autorizaram a vacinação em jovens de 16 e 17 anos, como é o caso aqui do Rio, além de São Paulo e Maranhão.


Em Minas, alunos de Contagem iriam ser vacinados a partir de 12 anos, mas houve proibição.


No Distrito Federal, as autoridades locais afirmaram que não há previsão para imunizar menores de 18 anos.


Apesar de a atualidade mostrar um impasse diante das vacinações nesse público mais jovem, é certo que ela ocorrerá. É questão de tempo.