Depressão pós-parto

#depressao #posparto


A depressão pós-parto é grave, incapacitante e precisa de tratamento. A sociedade ainda não dá a atenção devida a essa condição da mulher, mas é preciso rever conceitos para entender a gravidade do problema.

 

Toda tristeza é depressão?


Após dar à luz, a mulher passa por um turbilhão de emoções e variações hormonais. Estima-se que entre 50% e 80% relatam um período de tristeza após o nascimento do filho, mesmo com tudo dando certo.


Depressão pós-parto

A questão é que esses episódios são normais, desde que não durem por um período superior a quinze dias; ou que não seja algo incapacitante à paciente, impedindo-a de fazer tarefas básicas do dia a dia.


Quando surge a depressão?


A depressão pós-parto, no geral, não surge imediatamente após o nascimento. Ela pode vir depois de semanas e evoluir gradativamente, deixando a paciente cada vez mais incapacitada.


Por sua vez, a tristeza, sim, surge mais imediatamente, entre dois e cinco dias após o parto; tem seu ápice aos dez dias e finda com até quinze.


Sintomas e tratamento


É importante observar o estágio do humor da mãe e dedicar atenção a isso. Se ela se mostra mais deprimida, sem vontade de realizar as tarefas comuns do dia a dia e esse quadro não retroage, é bom ficar alerta e procurar auxílio profissional.


Ao procurar ajuda clínica, terapias e medicações podem ser indicadas. O importante é não negar o problema, já que entre 10% e 15% das mulheres sofrem com essa doença - um número muito alto.


Depressão pós-parto tem tratamento e é mais comum que se imagina.