Intoxicação infantil por chumbo

Quando se fala na possibilidade de uma criança se intoxicar por chumbo, muitas pessoas imaginam que é um assunto distante de suas realidades. Ledo engano. Especialistas já falam em uma pandemia silenciosa, pois 1 em cada 3 crianças no mundo passam pelo problema. Entenda melhor.




Como a intoxicação por chumbo acontece?


O chumbo está presente em nosso cotidiano muito mais do que imaginamos. Tintas, maquiagens, bijuterias, brinquedos em praças e utensílios de cozinha são alguns exemplos de produtos que trazem o metal na composição.


Não há “níveis saudáveis” relativos à exposição ao chumbo. Portanto, se os pais acreditam que o filho esteve exposto a essa substância é importante procurar ajuda médica e solicitar um exame de sangue que mede os níveis de chumbo no organismo.



O que o chumbo pode causar na criança?


O chumbo é um inimigo invisível e silencioso. Essa intoxicação não se manifesta como as de substâncias que causam vômitos, diarreia e outros sintomas perceptíveis. O chumbo, normalmente, interfere na cognição da criança, atrapalhando seu aprendizado e o convívio social, já que torna o paciente mais agressivo e tendencioso ao isolamento.



Como se prevenir?


A primeira prevenção a ser adotada é removendo as fontes de chumbo do cotidiano da criança. Prefira cosméticos de boa procedência; nas praças, evite contato com brinquedos descascados; lave sempre as mãos e esterilize chupetas e mamadeiras.


Uma alimentação rica em ferro e cálcio é crucial também, pois esses componentes protegem o organismo contra o chumbo.


Cuidado com encanamentos e torneiras antigas. Eles eram fabricados com ferro e chumbo e, por causa disso, o metal pode passar para a água que é utilizada na casa.


Espalhe essa informação para seus familiares e vizinhos. Sem perceber, você estará salvando muitas vidas.