Predisposição genética à obesidade

A obesidade é uma doença, uma epidemia mundial. Por causa dela, milhões de pessoas desenvolvem outros males que podem levar à morte. Recentemente, cientistas descobriram que algumas pessoas, por razões genéticas, podem ter muito menos chances de desenvolverem o problema do sobrepeso.




Uma rara condição


Essa descoberta diz respeito a uma condição bem rara, de mutação no gene GPR75. Pessoas com essas características mostraram-se com 54% menos chances de desenvolver a obesidade.


O estudo também evidenciou variações genéticas que podem contribuir para o ganho de peso, aumentando tais probabilidades em até 100%.


A importância da descoberta abre um caminho no tratamento e prevenção da obesidade, já que é natural pensar que uma “simples” inibição nesses genes específicos podem interferir positivamente em casos de sobrepeso, dando ao indivíduo mais saúde e qualidade de vida.



A obesidade


Ainda vista com preconceito por muitas pessoas, que acreditam que a obesidade é somente culpa do estilo de vida do paciente, ela é uma doença crônica, caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura no corpo. Possui relação com o estilo de vida, naturalmente. Mas também tem justificativa genética.


Outra questão importantíssima no combate à obesidade diz respeito sobre a saúde mental. Muitos pacientes relatam comer compulsivamente para compensar frustrações adquiridas em outros setores: trabalho, relacionamentos pessoais ou amorosos. Portanto, para um tratamento eficaz contra a doença, é preciso acompanhamento psicoterapêutico e nutricional. As intervenções medicamentosas ou cirúrgicas devem ser cogitadas, porém como segundo plano.