Remédio faz bem?

Os medicamentos surgem para aliviar algum mal. Se usados de acordo com a orientação médica, os remédios tendem a fazer bem. O que pode fazer mal são os exageros e a automedicação. Nesta matéria trataremos do tema, explicando os benefícios e malefícios das drogas farmacêuticas.




A função do medicamento


Os remédios contribuem significativamente para curar ou diminuir os impactos causados por doenças, além de prolongar a expectativa de vida dos seres humanos.


Eles são desenvolvidos após anos de testes e estudos, sempre com a função de trazer bem-estar e alívio.


Também são utilizados na prevenção e no diagnóstico de doenças. Por isso que, ao fazer uso de um medicamento, é fundamental que se tenha em mente o resultado que se deseja, uma vez que esses produtos possuem ação específica.



Perigos do uso irresponsável


Na contramão dos benefícios apontados, os remédios podem se tornar um problema quando administrados de forma errônea ou irresponsável. Vemos muito isso acontecer em pacientes que se automedicam, ou buscam informações na internet.


Os profissionais habilitados para te orientar sobre uso de remédio são médicos e farmacêuticos, a saber que esses últimos não têm o poder de receitar, apenas orientar. Portanto, se faz uso de medicação controlada ou precisa de algum tipo específico de medicamento, busque ajuda médica para obtenção da receita e reavaliação do seu quadro. Afinal, o remédio receitado para um mal específico, não precisa, necessariamente, ser consumido de forma constante. A reavaliação médica, através de consultas e exames, serve justamente para ver se o paciente ainda necessita daquela droga ou se a dosagem está devidamente ajustada.


Se não conduzido dessa forma, o paciente passa a utilizar aquele fármaco de forma irresponsável, colocando seu organismo dependente e ainda sujeitando seus órgãos a reações adversas prejudiciais ao corpo.



Remédio bom é remédio receitado


Não utilize medicamentos sem orientação médica. E nem sem discutir o prazo do tratamento. É função do médico, além de examinar, avaliar e receitar, também orientar. Converse com ele, tire suas dúvidas, pergunte sobre o prognóstico inicial e a expectativa de duração daquela medicação. Lembre-se que o remédio é um amigo temporário e que, seu uso contínuo, só é aconselhável se o profissional da saúde te indicar dessa forma.