Vamos falar da sífilis

Uma doença que, há tempos, não preocupa tanto quanto no passado, a sífilis volta a assombrar o país. Nos últimos 10 anos, os casos saltaram de 4 mil para 115 mil. Entenda como a enfermidade tem se espalhado silenciosamente no Brasil e o que pode ser feito para combatê-la.




O que é sífilis


Trata-se de uma doença infecciosa, geralmente transmitida por contato sexual. Também pode haver a transmissão de mãe para filho durante a gestação ou na hora do parto. É uma enfermidade que causa lesões na pele e nas mucosas.


Engana-se quem pensa que a sífilis causa apenas incômodos estéticos. As manchas e lesões podem até sumir com o tempo, o que dá ao paciente a falsa impressão de estar curado. Mas a doença pode voltar a se manifestar, mesmo após décadas!


Em estágio avançado, a sífilis causa lesões também nos ossos e nos sistemas cardiovascular e neurológico, podendo levar à morte.



Como diagnosticar e tratar


Ao perceber algum sintoma, o paciente precisa procurar ajuda médica e se submeter a exames que auxiliarão no diagnóstico da doença. É um teste rápido, cujo resultado sai em até 30 minutos.


O tratamento é à base de antibióticos, que devem ser ministrados de acordo com a orientação do médico, respeitando os prazos de uso e de intervalo do medicamento.


A melhor forma de evitar a sífilis é praticando sexo seguro, com uso de preservativo. Mesmo que o paciente já tenha tido a doença e se curado, precisa continuar se protegendo, pois a bactéria responsável pelo problema pode, perfeitamente, se manifestar em organismos que já tiveram a doença. Em outras palavras, ter tido não gera imunidade.



Por que a doença cresceu tanto nos últimos anos?


Com um aumento vertiginoso no número de casos, a sífilis, que já foi muito temida há décadas, volta a assustar o país.


Uma das principais explicações é o relaxamento quanto ao uso da camisinha nas relações sexuais. Com o avanço do tratamento do HIV e da AIDS, as pessoas estão menos cuidadosas e se importando, cada vezes menos, em usar preservativos.


É possível afirmar que a sífilis foi praticamente erradicada no passado porque as pessoas tinham medo da AIDS. À medida que a ciência avançava nos tratamentos dessa doença, a sífilis foi voltando a crescer, porque as pessoas pararam de se proteger.