A malária

Malária é uma doença infecciosa que pode levar à morte. É transmitida por mosquitos e causada por protozoários parasitários. Seus sintomas começam a se manifestar de 10 a 15 dias após a picada do inseto.


Diagnóstico, sintomas e tratamento


Os sintomas mais comuns da doença são febre, fadiga, vômitos e dores de cabeça. Em casos mais graves, pode haver icterícia, convulsões e coma, levando à morte.


Para o diagnóstico, é preciso fazer um estudo do itinerário do paciente, pois se ele esteve em regiões em que há endemia da doença, a suspeição aumenta e ajuda a direcionar os exames. Ao avaliar o paciente, o médico solicitará alguns procedimentos laboratoriais afim de confirmar a doença.


Após a picada, os parasitas que estavam na saliva do mosquito, entram no sistema circulatório da pessoa e se alojam no fígado, onde se desenvolvem e reproduzem.


O tratamento


O tratamento recomendado para a malária é feito à base de medicações próprias, chamadas de antimaláricos, que devem ser tomados de uma só vez durante uma refeição. A sua dose irá variar de acordo com a idade e o peso do paciente, por isso a automedicação é totalmente reprovada.


Em casos mais graves, os antimaláricos são ministrados de forma intravenosa em hospitais. E em gestantes, os cuidados e a posologia do medicamento devem ser ainda maiores e específicos.


A malária afeta o coração?


Estudos mostram que um dos antimaláricos, a mefloquina, provoca reações adversas ligadas ao sistema cardiovascular, afetando o coração em pessoas que tomam certos medicamentos para distúrbios cardíacos. Dessa forma, se o paciente já tem histórico de doença e tratamento do coração, deve evitar esse remédio e informar ao seu médico.


Sobre a doença afetar diretamente esse órgão vital, não existe um consenso, mas há alguns relatos de médicos sugerindo que a malária em sua forma grave, causada pelo parasita P. falciparum, pode levar a uma lesão do miocárdio.


Com se prevenir da doença


A transmissão da doença pode ser combatida através da prevenção das picadas de mosquito. As medidas de prevenção mais comuns são o uso de redes mosquiteiras ou repelente de insetos e medidas de erradicação, como o uso de inseticidas ou o escoamento de águas paradas.


Pessoas que irão viajar para regiões famosas pela propagação da doença, devem se prevenir com medicamentos próprios. Ainda não existe vacina eficaz contra a malária, apesar de haver esforços no sentido de desenvolver uma.



PACIENTES E VISITANTES
Nossos Hospitais
       Hospital Casa | Hospital de Câncer
       Hospital Casa de Portugal
       Hospital Casa Evangélico
       Hospital Casa Prontocor
       Hospital e Maternidade Casa Egas Moniz
       Hospital Casa Italiano
       Hospital Casa São Bernardo
       Hospital Casa Procordis
       Hospital Casa Rio Laranjeiras
       Hospital Casa Rio Botafogo
       Hospital Casa Bambina
       3D Diagnóstico por imagem
Institucional
       Trabalhe conosco
       Destaques
       Quem somos
       Missão, visão e valores
       Imprensa
       Diferenciais
       Vídeos Institucionais
CENTRO DE ESTUDOS
       Sobre o centro
       Cursos e eventos
       Residência Médica

© 2021 Rede Hospital Casa

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • LinkedIn ícone social