A obesidade e a fratura em mulheres

Um estudo recente mostrou que a obesidade pode aumentar o risco de fratura óssea nas mulheres. Entenda melhor nesta matéria.



Associando obesidade a fraturas


Pesquisas sobre essa associação vêm sendo feitas há anos. Um estudo divulgado recentemente mostrou que as mulheres que têm sobrepeso ou obesidade estão mais propensas a fraturas ósseas se comparadas às com menor massa corporal.


Essa associação ainda não tem uma explicação científica, como explicou a idealizadora do estudo, a canadense Dra. Anne-Frederique Turcotte. Mas ela acredita que haja ligação com a gordura visceral - armazenada no abdômen e que envolve os órgãos - que pode expelir substâncias prejudiciais à resistência óssea.


A título de curiosidade, nos homens, essa relação é contrária, ou seja, homens com baixo peso estão mais propensos às fraturas.



Mais dados sobre o estudo


O estudo monitorou quase mil pessoas, entre homens e mulheres, durante 6 anos. E, além de observar que as mulheres acima do peso tinham mais propensão à fratura que os homens, também ficou sugerido que a cada 5cm a mais na circunferência da cintura delas, havia cerca de 3% a mais de chances de fratura óssea. O tornozelo, a tíbia e o pé foram as regiões mais afetadas.


Essa pesquisa é muito importante para aumentar a prevenção tanto de fraturas quanto do sobrepeso, pois ter dados científicos sobre a associação da obesidade com traumas ósseos pode ser mais um alerta e desencadear as mudanças de hábitos dos pacientes.