top of page

O arroz pode ser um vilão para o coração

O arroz branco faz parte do dia a dia de grande parte dos brasileiros. Você sabia que esse alimento, em excesso, pode trazer prejuízos ao coração? Entenda.


Arroz branco e o coração


De acordo com um estudo publicado no American College of Cardiology Middle East 2022, realizado com mais de 2.000 pacientes iranianos, o consumo de arroz branco pode ser tão prejudicial ao coração quanto doces e gorduras. Isso porque, de acordo com a pesquisa, o excesso de grãos refinados pode aumentar risco de doença arterial coronariana prematura (PCAD, sigla em inglês).


Essa doença ocorre quando há a obstrução das artérias coronárias, vasos sanguíneos que irrigam o miocárdio. Tais artérias ficam obstruídas por placas de gordura que, com o tempo, vão se acumulando em seu interior. Como resultado disso, há um estreitamento e bloqueio da passagem de sangue. E essa má irrigação pode resultar em um infarto.


Já era sabido que fatores como tabagismo, sedentarismo, diabetes, obesidade, hipertensão e colesterol alto poderiam contribuir para um infarto. E agora acrescenta-se à lista os grãos refinados, como o arroz branco.


Quando consumimos o arroz, ele sofre uma ação rápida das enzimas digestivas e têm uma absorção igualmente veloz pelo intestino. Assim se convertem em açúcar no organismo, que fica armazenado como gordura. Muito arroz causa, portanto, aumento nos níveis de glicose no sangue. A consequência é o risco elevado de diabetes tipo 2 e de uma tendência ao ganho de peso e a obesidade, fatores que interferem na saúde do coração.


É importante lembrar que o arroz traz maiores riscos de o indivíduo apresentar altas taxas de triglicérides e colesterol, contribuindo para o crescimento no número de placas de gordura nas artérias coronárias. Além disso, a glicose colabora ainda para a produção de coágulos, que também podem bloquear esses vasos. O resultado é o possível surgimento da doença arterial coronariana prematura.


Uma opção é o arroz integral que, por não ser refinado, conserva nutrientes que fazem bem à saúde. Mas também não deve ser consumido em excesso.


Commenti


bottom of page