Breves relatos sobre a história da imunização

Responsáveis por erradicar doenças no planeta, as imunizações nem sempre foram vistas com bons olhos pela população, mas sempre se mostraram eficazes no combate a vários problemas. Nesta matéria faremos uma viagem pela história da vacinação no mundo e no Brasil.




Quando tudo começou


Vacinação vem da palavra “vaca”. Sim, vaca mesmo, o animal. No auge da varíola, em 1796, Edward Jenner, um médico inglês, percebeu que as mulheres responsáveis por ordenhar as vacas tinham uma forma bem mais amena da doença. Ele deduziu que elas contraíam uma variante – a varíola bovina.


Então, ele extraiu o pus da mão de uma paciente e o introduziu em uma criança de 8 anos. Após esse processo, quando o menino contraiu a varíola convencional, teve sintomas muito mais leves e logo ficou curado. Ao longo de 4 anos, o médico fez outros testes, obtendo sucesso na maioria deles. Começava aí a história das vacinas.



No Brasil


Em nosso país, o precursor da imunização foi o Marquês de Barbacena, que chega com a vacina contra a varíola em 1804. Apenas em 1837 ela se tornou obrigatória para crianças e, em 1846, para adultos. Entretanto, a produção em larga escala se deu 44 anos depois – em 1884.


Após 20 anos, surge a figura de Oswaldo Cruz. Em 1904, quase 2 mil pessoas foram internadas com varíola no hospital São Sebastião. O médico, então, sugere que a vacina se torne obrigatória e que somente as pessoas vacinadas teriam acesso a um contrato de trabalho, matrículas em escolas, certidões de casamento, autorização para viagens e outros direitos. O governo acata a sugestão e surge, então, a Revolta da Vacina.



Revolta da Vacina


A população, já insatisfeita com falta de saneamento básico e outras questões insalubres, via autoridades invadindo suas casas para forçar a vacinação. Isso gerou conflitos que resultaram em 30 mortes, mais de 100 feridos e quase mil prisões.


Houve, assim, a suspensão da obrigatoriedade da vacina. Entretanto, com um novo surto em 1908, a população buscou pela vacina por vontade própria.



Coronavírus


Estamos vivendo a pior pandemia de nossa história recente. Já são 175 milhões de infectados pelo mundo, mais de 3,7 milhões de mortes. No Brasil, os números oficiais mostram mais de 17 milhões de infectados (10% dos casos do mundo inteiro) e quase 500 mil mortes (cerca de 15% das mortes mundiais).


Muito se discutiu sobre eficácia e necessidade de vacina, algumas falas com viés político e ideológico. Independente de tudo isso, a doença é uma realidade e a vacinação é a melhor arma contra ela.


As campanhas de imunização no país estão acontecendo por critérios de idade, comorbidade e locais de exposição (como trabalhadores da saúde, por exemplo).


Quando chegar a sua vez, tome a vacina. Precisamos imunizar a população para que a forma grave da doença não acometa mais pessoas e leve mais vidas. A ciência está a favor da vida; esteja você também!




PACIENTES E VISITANTES
Nossos Hospitais
       Hospital Casa | Hospital de Câncer
       Hospital Casa de Portugal
       Hospital Casa Evangélico
       Hospital Casa Prontocor
       Hospital e Maternidade Casa Egas Moniz
       Hospital Casa Italiano
       Hospital Casa São Bernardo
       Hospital Casa Procordis
       Hospital Casa Rio Laranjeiras
       Hospital Casa Rio Botafogo
       Hospital Casa Bambina
       3D Diagnóstico por imagem
Institucional
       Trabalhe conosco
       Destaques
       Quem somos
       Missão, visão e valores
       Imprensa
       Diferenciais
       Vídeos Institucionais
CENTRO DE ESTUDOS
       Sobre o centro
       Cursos e eventos
       Residência Médica

© 2021 Rede Hospital Casa

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • LinkedIn ícone social