Intolerância à lactose

Certamente você já ouviu falar na intolerância à lactose. Trata-se de uma condição na qual o paciente não consegue digerir a lactose, que é o açúcar do leite. Nesta matéria você entenderá mais sobre o assunto e verá quem está mais propenso a desenvolver o problema.




Entendendo melhor


A intolerância à lactose acontece porque há uma deficiência ou ausência de uma enzima intestinal chamada lactase. Esta enzima que possibilita a decomposição (do açúcar presente no leite) em carboidratos mais simples, para que haja uma absorção mais tranquila no organismo.


Quem possui essa condição desenvolve alguns sintomas bem incômodos como: náuseas, vômitos, diarreia, cólicas, barriga estufada, gases e desconfortos abdominais.



Quem está mais propenso?


Um estudo recente divulgou que a população negra está mais suscetível a desenvolver a intolerância à lactose. Segundo o estudo isso é consequência de uma evolução genética. Há vários séculos, o ser humano consumia leite apenas quando recém-nascido. À medida que o pastoreio deu lugar à produção do leite para o consumo de adultos, os organismos evoluíram para terem tolerância à lactose também na fase adulta.


Pela triste história da escravidão e da falta de acesso ao produto, os negros continuaram tendo deficiências na produção da lactase e, por causa disso, estão mais propensos hoje a desenvolver o problema.


Essa intolerância deve ser diagnosticada por um médico, que, após exames, irá sugerir um tratamento e uma nova rotina alimentar.