Mitos e verdades sobre alimentos orgânicos

Os alimentos orgânicos estão ganhando cada vez mais espaço na mesa do brasileiro. Vamos entender mais sobre o assunto?




O que são alimentos orgânicos?


Todos os produtos cultivados da forma mais natural possível, sem pesticidas, adubos químicos, substâncias sintéticas ou transgênicas, antibióticos ou hormônios, são considerados orgânicos. Eles estão ganhando cada vez mais espaço e, mesmo sendo mais caros, estão virando preferência para muitas pessoas.


O principal motivo para essas mudanças alimentares do brasileiro está na busca por uma comida mais saudável.



Questões nutricionais e benefícios à saúde


Estudos mostram que não há diferenças significativas entre os nutrientes dos alimentos tradicionais e os orgânicos. O que pode provocar mudança negativa é o tipo de fertilizante químico utilizado em um legume ou verdura, que pode interferir nos níveis de elementos antioxidantes. Em casos assim, é natural pensar que haverá menos vitamina C nos que recebem tratamento químico.


Também já foi constatado haver maior índice de ômega 3 em produtos lácteos orgânicos e melhores perfis de ácidos graxos em produtos de carne orgânica.


Para a saúde tem sido algo benéfico, se pensarmos que orgânicos têm níveis mais baixos de metais pesados e resíduos de fertilizantes, agrotóxicos e teores de nitrato, que podem interferir diretamente na redução da incidência de infertilidade, defeitos congênitos, sensibilização alérgica, dentre outros males.



Como saber a procedência


Para saber se o que você consome é, de fato, um produto orgânico, procure pelos selos de certificação nas embalagens e rótulos. Esse selo deve ser do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).