Os sinais do rosto

Com o passar do tempo, ou mesmo em pessoas mais jovens, há o aparecimento de manchas e sinais no rosto. Essas pintas e relevos podem ser sintomas de alguma doença? Entenda!




Entendendo os sinais do corpo


Costumamos dizer que o nosso corpo fala com a gente, sobretudo através da pele que é o nosso maior órgão. Ela está exposta e sujeita a todas as variações climáticas, radiação solar e etc. É nela que aparecem mais sinais, sem dúvidas.


Como o nosso rosto é a parte mais exposta do corpo, é natural que os sinais de várias condições de saúde se manifestem na pele da face. Manchas, pintas, feridas ou pelos podem ser questões que merecem atenção médica.


A seguir, relatamos alguns sinais comuns que precisam de avaliação profissional.


  • Pele amarelada: quando a coloração da pele mudar, fique atento. Doenças no fígado, anemia, distúrbios nutricionais, problemas de vesícula e alguns tipos de câncer se manifestam assim.


  • Manchas escuras no rosto: são sinais que podem aparecer de repente. Podem ser um simples sinal do envelhecimento natural do ser humano, como também indício de um tumor. Alterações hormonais também causam essa situação.


  • Feridas nos lábios: pode ser sintoma de herpes, candidíase, úlcera, desidratação ou um tipo de câncer. Precisa de investigação médica.


  • Lábios rachados: pode ser uma inflamação por radiação solar, consequência pela ingestão de alguma fruta cítrica ou alergia.


  • Vermelhidão no rosto: pode ser lúpus, dermatite, sensibilidade à luz solar ou uma doença chamada rosácea.


  • Nódulos e pintas: algumas lesões cancerígenas se manifestam dessa forma, assim como cistos e verrugas.


  • Excesso de pelos no rosto: essa é uma questão que pode ter ligações hormonais, ser consequência do uso de alguma medicação, problemas no ovário ou das glândulas adrenais, que ficam próximas aos rins.


É sempre importante procurar um médico para avaliar quando algum sinal diferente aparecer em seu rosto ou na pele. E não se esqueça que doenças perigosas, como o câncer, quando descobertas no início aumentam consideravelmente as chances de tratamento.