TDAH

O transtorno é de origem neurobiológica e tem causa genética. Frequentemente aparece durante a infância. O indivíduo portador dessa condição é caracterizado por ser agitado, desatento e impulsivo.




Entre 3 e 5 % de crianças e adolescentes possuem o transtorno, que, mesmo sendo genético, pode ter influência externa durante a gravidez. O consumo de cigarro e álcool na gestação, por exemplo, aumenta as chances de a criança desenvolver a condição. Da mesma maneira, exposição ao chumbo e estresse emocional familiar podem desencadear o problema.



TDAH em adultos


A criança que teve o diagnóstico ainda com pouca idade, certamente fará acompanhamento para saber a extensão do transtorno, que pode, sim, afetar o indivíduo durante a idade adulta.


Outra questão importante é referente a adultos que nunca tiveram o diagnóstico ou suspeita do déficit, mas são portadores do problema (e nem sabem).


Sintomas como perda rápida de interesse em novos projetos, quietude, decisões tomadas por impulso, dificuldade de se concentrar por muito tempo em atividades laborais, baixa autoestima, predisposição para uso abusivo de álcool e drogas, tendência a se envolver mais em acidentes de trânsito, pois dirige de forma agressiva ou rápida, além de depressão e ansiedade podem ser associados ao TDAH na fase adulta.


O problema está na falta de conhecimento, sobretudo do paciente que, por não entender (e nem desconfiar) do que se trata, busca ajuda porque alguns sintomas o incomodam, tratando apenas queixas específicas e não a raiz da questão.


O diagnóstico preciso pode ser dado através de investigação da rotina e a aplicação de alguns testes no paciente. E isso deve ser feito por um profissional de psicologia ou psiquiatria.


O tratamento para TDAH em adultos pode ser feito com medicamentos psicoestimulantes e sessões de psicologia. A terapia cognitivo-comportamental (TCC) tem se mostrado bastante eficaz no diagnóstico e tratamento do problema, pois leva o paciente a mudar padrões de comportamento e ter uma vida mais saudável emocional e socialmente.