A autoestima e o coração

A falta de autoestima é uma condição que leva à tristeza, frustração e até depressão. Mas, você já parou para pensar que isso também pode fazer mal à saúde do seu coração? Nesta matéria trataremos desse tema.




Autoestima


Mais que uma preocupação com a própria aparência, a autoestima engloba outas questões: como a pessoa se sente nos relacionamentos interpessoais, como ela julga o seu grau de competência no trabalho, a necessidade de que os outros aprovem seus atos, medo de errar e outras questões correlacionadas.


O pensamento negativo é predominante em pessoas assim, além da falsa sensação de ser imprestável ou insuficiente para os padrões sociais. É um problema diretamente ligado à autoaceitação e autovalorização.


A condição influencia diretamente no aparecimento de doenças como depressão, ansiedade, estresse crônico, distúrbios alimentares e dependência química. Pessoas que não estão com a autoestima em um nível adequado, possuem uma tendência a não fazer exercício físico, comer de forma errada e adquirir maus hábitos (alcoolismo, drogas ilícitas, tabagismo e etc).



Como a autoestima afeta a saúde cardiovascular


Pelos fatores apontados, é natural que a baixa autoestima leve o indivíduo a uma rotina não saudável. O sobrepeso e o sedentarismo são consequências imediatas e esses são fatores que influenciam, diretamente, na saúde do coração.


É comum haver uma busca por compensação nos alimentos. Daí, os distúrbios alimentares, que levam a um quadro de obesidade, com acúmulos de gorduras, inclusive nas artérias, aumentando o risco de um enfarto ou AVC. Esse tipo de paciente também tem mais propensão a desenvolver hipertensão, diabetes e ter níveis desregulados de colesterol, fatores que também contribuem para as doenças do coração.


Junte a isso outros fatores de risco, como tabagismo, uso abusivo de álcool e outras substâncias, além dos transtornos mentais (depressão, ansiedade, bipolaridade, burnout, entre outros).


A consequência é uma potencialização do risco de um colapso cardíaco.



Como evitar o problema?


Cuidar da saúde mental é essencial. Pessoas com problemas relacionados à autoestima, certamente possuem questões mal resolvidas internamente, que podem ser tratadas com sessões de psicologia e o auxílio de um psiquiatra.


Uma vez resolvidos os problemas psicológicos, todo o resto pode vir a fluir positivamente. O importante é reconhecer o problema e não deixar de procurar ajuda.