As crises de ansiedade

Mais comuns do que se imagina, as crises de ansiedade causam diversos sintomas físicos ao paciente, levando-o a um estágio de completa incapacidade, além da necessidade de se procurar atendimento de emergência. Nesta matéria, falaremos sobre esse assunto que faz parte da vida de muito brasileiro.




O que é a ansiedade?


A ansiedade é uma condição comum a qualquer pessoa. Ela causa nervosismo, medo, apreensão ou preocupação e surge em determinadas situações da vida. Em contrapartida, o transtorno de ansiedade generalizada é uma doença e precisa de diagnóstico, tratamento e acompanhamento de médico psiquiatra.


Saber distinguir ansiedade do transtorno de ansiedade não é tarefa fácil e também requer ajuda profissional. A grosso modo, podemos dizer que se as crises de ansiedade são muito frequentes e te colocam sempre em situações desconfortáveis, além de estarem prejudicando sua qualidade de vida por causa dos sintomas que causam, é importante investigar a situação.


Sintomas como enxergar perigo em tudo, apetite desregulado, alterações no sono, tensão muscular, preocupações excessivas, medos irracionais, estar à beira de um ataque de nervos constantemente, inquietação, pensamentos obsessivos, perfeccionismo exagerado ou problemas digestivos estão associados ao transtorno de ansiedade.



Como controlar as crises de ansiedade


Sudorese excessiva, tremor, desconfortos intestinais, pânico... essas são algumas das sensações que as crises de ansiedade provocam na pessoa.


Quem passa por um tratamento, pode ter à mão algum medicamento para abortar a crise, devidamente prescrito para aqueles casos.


Quem não faz uso de remédio, pode se utilizar de algumas técnicas que acalmam e desaceleram o pensamento, como o controle da respiração. Existe um procedimento chamado “646”, que consiste em inspirar, segurar o ar e expirar. Você inspira contando, mentalmente, até 6. Segura o ar, contando até 4. E depois solta o ar devagar, contando até 6. Repita o procedimento de 5 a 10 vezes. Isso ajudará bastante a abortar uma crise.


A médio prazo, exercícios físicos constantes também ajudam a controlar a doença, assim como a psicoterapia, que investigará a causa e tratará outras questões que talvez estejam interferindo emocionalmente no quadro.


O importante é reconhecer o problema e buscar ajuda.