top of page

Como saber se o seu filho está viciando em eletrônicos

As novas gerações parecem que já nascem conectadas, não é verdade? Mas o uso irrestrito de telas é benéfico para a saúde física e mental da criança? Entenda.



Sintomas de vício em aparelhos eletrônicos


Veja a seguir uma lista de sintomas comuns entre as pessoas que desenvolveram vício por aparelhos eletrônicos como TVs, computadores, tablets e celulares.


  • Diminuição do desempenho escolar;

  • Alteração dos padrões de sono, como insônia;

  • Maior irritabilidade e ansiedade;

  • Desinteresse por outras atividades que não aquelas ligadas ao vício, seja de jogos, seja de redes sociais;

  • Diminuição nos relacionamentos da vida presencial;

  • Prevalência dos relacionamentos da vida on-line;

  • Diminuição de interesse em atividades da vida presencial que costumava gerar prazer e satisfação;

  • Oscilações de humor;

  • Desatenção;

  • Déficit de memória;

  • Sentimento de angústia em ambientes em que não podem fazer uso dos eletrônicos.


Esses sinais citados são familiares? Então é hora de acender o alerta. Tente gerenciar o uso dos eletrônicos, diminuindo a intensidade de forma gradual. Incentive à prática de outras atividades. Caso sinta necessidade, busque ajuda de algum profissional de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras infantis.


A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças de até 2 anos de idade não usem telas. As que tiverem entre 2 e 10 anos, devem usar por, no máximo, 2 horas ao dia. Adolescentes entre 11 e 18 anos, até 3 horas diárias. E é importante não usar as telas durante as refeições e antes de dormir.


Algumas dicas que podem te ajudar a manter uma rotina saudável em casa: seja exemplo, evite ficar muito tempo no celular, para que a sua atitude inspire a do seu filho. Explique os perigos que moram nas redes, como pedofilia, roubo de dados, bullying e etc. Brinque mais com a criança, assim o tempo dele será ocupado por ações mais saudáveis.


Commenti


bottom of page