top of page

Correr em jejum é bom para a saúde?

Você já fez alguma atividade física pela manhã sem se alimentar? Conhece os benefícios e malefícios dessa prática? Entenda.



Correr em jejum


Correr em jejum é um tema que gera bastante debate entre especialistas em saúde e fitness. Existem argumentos a favor e contra essa prática, e é importante considerar os benefícios e os riscos antes de decidir adotá-la.


Primeiramente, correr em jejum pode trazer benefícios significativos para quem busca perda de peso e melhora na resistência aeróbica. A ausência de alimentos no estômago força o corpo a utilizar as reservas de gordura como fonte de energia, o que pode acelerar a queima de gordura. Além disso, alguns estudos sugerem que a prática regular de exercícios em jejum pode aumentar a eficiência do metabolismo e melhorar a capacidade do corpo de utilizar a gordura como combustível, o que é benéfico para a performance em atividades de longa duração.


Por outro lado, correr em jejum também apresenta riscos que não devem ser ignorados. A falta de nutrientes no corpo pode levar à queda de níveis de açúcar no sangue, resultando em fraqueza, tontura e até desmaios durante a atividade física. Pessoas que não estão acostumadas a essa prática ou que têm condições médicas específicas, como diabetes, devem ter cuidado redobrado. Além disso, correr sem se alimentar pode aumentar o risco de perda de massa muscular, já que o corpo pode começar a utilizar proteínas musculares como fonte de energia em casos de jejum prolongado.


A decisão de correr em jejum deve ser baseada nas necessidades e objetivos individuais de cada pessoa. Para aqueles que desejam experimentar essa prática, é essencial começar devagar, prestando atenção aos sinais do corpo e ajustando a intensidade dos treinos conforme necessário. É recomendável também consultar um nutricionista ou médico antes de iniciar qualquer regime de exercícios em jejum, especialmente para indivíduos com condições de saúde preexistentes.


Em resumo, correr em jejum pode ser benéfico para a perda de gordura e melhoria da resistência aeróbica, mas não é uma prática adequada para todos. Os riscos de hipoglicemia e perda de massa muscular são considerações importantes que devem ser levadas em conta. Portanto, a melhor abordagem é avaliar cuidadosamente os prós e contras, e, se decidir tentar, fazê-lo de maneira gradual e informada, sempre buscando orientação profissional.



Comentarios


bottom of page