top of page

Diabetes e declínio cognitivo

O diabetes é uma doença relacionada com o índice de açúcar no sangue. Ele pode causar diversas complicações e, recentemente, a ciência está associando-o ao declínio cognitivo. Entenda melhor nesta matéria.



Diabetes


De acordo com a Organização Mundial de Saúde, há mais de 16 milhões de brasileiros adultos com diabetes tipo 2 (mellitus). Ela surge quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz ou não produz o hormônio de forma suficiente para controlar a taxa de glicemia.


Um paciente diabético pode ter diversas complicações, entre elas uma sede exagerada, procrastinação, perda de peso, problemas visuais, mudanças de humor, infecções frequentes, feridas que demoram a cicatrizar. E, em casos mais agudos, pode haver a amputação de dedos, pés e pernas.


Além de todos os males citados, o diabetes está ligado também ao declínio cognitivo dos pacientes.


Diabetes e o declínio cognitivo


Em um estudo realizado pela PUC do Paraná, com 250 pacientes portadores do diabetes tipo 2, entre os anos de 2018 e 2021, ficou constatado que diabéticos terão maiores chances de desenvolver déficits cognitivos no futuro.


A pesquisa mostrou algumas predisposições a essa complicação: ter acima dos 65 anos; ser portador de diabetes há mais de 10 anos; ter alguma doença cardiovascular; ter depressão; ser fumante; ser sedentário.


Diante dessa descoberta, é aconselhável que os pacientes diabéticos, sobretudo os que tenham alguma predisposição ao problema, tenham um acompanhamento médico também no sentido neurológico.


Commentaires


bottom of page